Home
Motivo

Eu canto porque o instante existe
e a minha vida está completa.
Não sou alegre nem sou triste:
sou poeta.

Irmão das coisas fugidias,
não sinto gozo nem tormento.
Atravesso noites e dias
no vento.

Se desmorono ou se edifico,
se permaneço ou me desfaço,
– não sei, não sei. Não sei se fico
ou passo.

Sei que canto. E a canção é tudo.
Tem sangue eterno a asa ritmada.
E um dia sei que estarei mudo:
– mais nada.

Este poema mostra o centro da inspiração da poetisa brasileira Cecília Meireles, o qual revela a sua atitude perante o mundo e a sua atitude para consigo própria. Segundo Sophia de Mello Breyner Andersen (in Cidade Nova. IV série, nº6 (1956), p. 342), a sua poesia é construída de dualidades, é um equilíbrio de oposições e uma harmonia de contrários. É uma poesia ao mesmo tempo clássica e romântica, objectiva e subjectiva, serena e desesperada, intemporal, desligada, distante e humanamente cheia de paixão e lágrimas. É uma poesia suspensa entre reinos divididos que tem de procurar constantemente a sua unidade, resolver a sua divisão, reunir os seus membros dispersos.

Foi através de alguns textos seleccionados pelo leitor-guia Fábio Mário Silva e a leitura dramática do PIM Teatro que os participantes da Roda de Leitura viajaram ao mundo poético de Cecília Meireles. Esta viagem teve lugar no passado dia 23 de Outubro à noite na Sala de Leitura da Biblioteca Pública de Évora.

Os poemas escolhidos pelo leitor-guia, interpretados por alguns elementos do PIM Teatro, deram mote a acesas discussões e partilha de sentimentos. Durante cerca de duas horas Fábio Mário Silva mostrou que a obra de C. Meireles é um projecto literário consistente e diversificado e que deveria merecer mais a atenção em Portugal, onde nem sequer existe a sua obra completa editada.


Anúncios

4 thoughts on “Uma "viagem" poética através da obra de Cecília Meireles

  1. Olá meu nome é Sheila Moreira, mestranda do curso de Gestão em Marketing. Gostaria de parabenizar a Biblioteca Pública de Évora pela iniciativa e espaço cedido, como também ao leitor guia Fábio Silva que proporcionou a mim e a todos presentes um enriquecimento de cultura com relação a uma grande poetisa e mulher Cecília Meirelles. Como não poderia deixar de referenciar também ao PIM Teatro que abrilhantou o evento. Parabéns a todos…

  2. Olá meu nome é Sheila Moreira, mestranda do curso de Gestão em Marketing. Gostaria de parabenizar a Biblioteca Pública de Évora pela iniciativa e espaço cedido, como também ao leitor guia Fábio Silva que proporcionou a mim e a todos presentes um enriquecimento de cultura com relação a uma grande poetisa e mulher Cecília Meirelles. Como não poderia deixar de referenciar também ao PIM Teatro que abrilhantou o evento. Parabéns a todos…

  3. Viva! Sou Ana Luísa Vilela, orientadora do leitor guia. Sei bem da paixão do Fabio pela poesia, mas não pude estar presente no evento, por estar em viagem de trabalho. Não quero deixar de me congratular por mais esta iniciativa da BPE, que soube perceber no Fabio a sua enorme sensibilidade, a sua competência comunicativa e as suas qualidades de trabalho: tudo coisas que eu conheço muito bem! Acho que todos sairam enriquecidos. E ler poesia num cenário como da BPE é, só por si, um privilégio! Um abraço a todos.

  4. Viva! Sou Ana Luísa Vilela, orientadora do leitor guia. Sei bem da paixão do Fabio pela poesia, mas não pude estar presente no evento, por estar em viagem de trabalho. Não quero deixar de me congratular por mais esta iniciativa da BPE, que soube perceber no Fabio a sua enorme sensibilidade, a sua competência comunicativa e as suas qualidades de trabalho: tudo coisas que eu conheço muito bem! Acho que todos sairam enriquecidos. E ler poesia num cenário como da BPE é, só por si, um privilégio! Um abraço a todos.

Os comentários estão fechados.