Home

Sete Dias, Sete Livros, Sete Tesouros [O que é isto?]

Incunábulo é o nome atribuído aos primeiros livros impressos, genericamente entre 1455, data em que Gutenberg descobriu a imprensa de caracteres móveis, e 1500. Estes primeiros impressos mantinham muitas das características dos manuscritos, nomeadamente o idioma latino, o formato in fólio, os caracteres góticos, as abreviaturas, as capitulares e gravuras pintadas à mão por iluministas.

Os grandes centros de impressão de incunábulos foram a Alemanha, país onde surgiu a imprensa de caracteres móveis, a Itália, onde florescia o humanismo, a França e a Espanha, onde o número de universidades crescia. Em Portugal o primeiro Incunábulo foi produzido em 1487.
A colecção de Incunábulos da BPE conta com 664 espécies. De acordo com Pina Martins a colecção provêm sobretudo de instituições religiosas. Esta acepção tem por base a temática religiosa, canónica, filosófica e patrística da maioria das espécies.

Incunábulo 189
Crónica de Nuremberga

INC. 189
Registrum Divinus Operis Liber Chronicarum Figuris et Ymagibus ab Inicio Mundi

Escrita pelo médico, humanista e historiador alemão Hartmann Schedel, combinando as várias versões da história encontrada em livros de sua vasta biblioteca, a chamada “Crónica de Nuremberga” é um dos primeiros livros ilustrados impressos. A obra conta a história da Terra desde a criação até a década de 1490 e está dividido em sete Eras que incluem: A Primeira Era – Da Criação ao Dilúvio. A Segunda Era – termina com o nascimento de Abraão. A Terceira Era – termina com o reinado do Rei David. A Quarta Era – termina com o cativeiro da Babilónia. A Quinta Era – fecha com as “encarnações” de Jesus. A Sexta Era – estende-se desde o nascimento de Cristo até ao fim do mundo “cujo término só Deus sabe.” A Sétima Era – a idade do Anti-Cristo. As numrosas xilogravuras que ilustram a obra estiveram a cargo da oficina de Michael Wolgemut e Pleydenwurff Wilhelm, que tinha então por discípulo Albrecht Dürer embora se desconheça se este teve qualquer papel na produção de imagens.

INC. 213
Compendium Grammatice brevissimum ac utilissimum thesaurus pauperum & speculum pueroruz a devotissimo magistrado iohanne de pastranna editu Incipit in nomine domini

Da autoria do catalão Juan de Pastrana, esta gramática latina obteve reconhecimento na época, sendo muito procurada e utilizada em toda a Península Ibérica por professores e estudantes como manual para o estudo básico do latim. Este é o único exemplar conhecido desta edição, que tem a particularidade de ser impressa em caracteres redondos a negro e vermelho e contém duas árvores gramaticais e várias anotações marginais.

Bibliografia:

  • CID, Isabel. Incunábulos da Biblioteca Pública e Arquivo Distrital de Évora: catálogo abreviado. Évora: B.P.A.D.E, 1988
  • CID, Isabel. Incunábulos e seus possuidores: análise da colecção de incunábulos da Biblioteca de Évora. Lisboa: Inst. Nac. de Investigação Científica,1988
Anúncios