Home

Sete Dias, Sete Livros, Sete Tesouros [O que é isto?]

A colecção de Jornais Ilustrados integrou o acervo BPE porque pertencia à Biblioteca da Manizola, propriedade do 2º Visconde da Esperança e adquirida pelo Estado em 1955. Trata-se de um importante conjunto de revistas noticiosas e de divulgação cultural que abordam temáticas tão variadas como curiosidades científicas, novidades literárias, política, movimentos sociais, relatos de viagem e turismo, vida social. O texto é acompanhado de numerosas ilustrações de grande qualidade gráfica e algumas fotografias, nos exemplares mais tardios, que documentam o conteúdo. São assim frequentes as reproduções de animais, plantas e locais. A introdução da ilustração nos periódicos como forma de documentar as noticias deveu-se a inovações tecnológicas como a mecanização dos prelos de ferro, a descoberta da litografia e a vulgarização da fotografia a partir de 1878 que facilitaram a reprodução em massa de imagens.

HEM – Est. II-C-16
Revue illustré (1885 – 1889)
Revista cultural ilustrada publicada em Paris entre 1885 e 1912 de que existem na BPE os exemplares publicados nos anos de 1885 a 1889.
A revista aborda temas culturais e encontrava-se genericamente dividida em três temáticas: Literatura, Iconografia (desenhos, gravuras e fotografias) e Música.

HEM – Est. II-C-20
A illustração luso-brazileira : jornal universal (1856-1859)
A 5 de Janeiro de 1856 publica-se, pela primeira vez, em Lisboa A Ilustração Luso-Brasileira, propriedade de António José Fernandes Lopes, na época, o proprietário do periódico O Panorama (1837-1868), verdadeiro paradigma da imprensa literária romântica portuguesa. Esta revista/jornal era designada pelos seus redactores ora como um “jornal universal, literário, científico e ilustrado”.
A Ilustração Luso-Brasileira, dirigida ao público Português e Brasileiro, tinha como objectivo promover o progresso das letras, das artes, bem como a divulgação de diversos tipos de conhecimentos, ao maior número de leitores possíveis.
Os seus artigos traziam textos literários de ficção, ensaios críticos e sobre personalidades contemporâneas portuguesas e estrangeiras, noticiários, textos sobre instituições religiosas, notícias bibliográficas de livros publicados pelo editor do jornal e retratos, desenhos e ilustrações relacionadas com os textos publicados.
Este periódico era semanal, publicado aos Sábados com 8 páginas por edição e posteriormente encadernados em volumes anuais.

Bibliografia:

  • BELO, André – “Notícias impressas e manuscritas em Portugal no século XVIII: horizontes de leitura da Gazeta de Lisboa”. Horiz. antropol. vol.10 no.22 Porto Alegre July/Dec. 2004.
  • Lisboa, João Luís;Miranda, Tiago C. P. dos Reis; Olival, Fernanda – As Gazetas Manuscritas da Biblioteca Pública de Évora. 2 Vol.  Lisboa:Colibri, CIDEHUS.UE, CHC.UNL, 2002-2005.
  • MARTINS, Francisco José –Pequena História da Imprensa Portuguesa. Lisboa: Editorial Inquérito. 1941.
  • VELOSO, Lúcia Mariano, “Os jornais preciosos da Biblioteca Pública de Évora” in Tesouros da Biblioteca Pública de Évora. coord. João Ruas. Lisboa: Medialivros, 2005.
Anúncios